sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

UM CARNAVAL FORA DO COMUM

GUARAMIRANGA É MUITO MAIS DO QUE DIZEM


Valeu viajar mais de 2 mil kilômetros, enfrentar as curvas da serra do baturité, dormir no carro, encarar o frio de 15 graus e a chuva. Guaramiranga, interior do Ceará é muito mais do que dizem.

Na ida, 1.050 kilômetros de São Luís passando por Parnaíba, Chaval, Sobral, Maranguape, Palmácia, Pacoti até Guaramiranga. É o caminho mais curto, porém perigoso, devido às curvas na subida da serra. Mas valeu pela passagem no bem-estruturado Y-Park (Complexo Turístico Ypióca), no município de Maranguape.

Em Guaramiranga, quase 900 metros acima do nível do mar, gente bonita, chocolate quente com chantily, petit gateau, fondue, esportes de aventura e música. Em pleno carnaval, o melhor do jazz e blues nacional e internacional.

No Teatro Rachel de Queiroz, na quadra municipal ou nas ruas. Um carnaval com estilo, bom gosto e muita história para contar.


MUSEU DA CACHAÇA

Na BR 116, na altura do município cearense de Maranguape fica o Y-Park, com o Museu da Cachaça. Excelente infra-estrutura de turismo de campo, com área de lazer, restaurante e museu. Ideal para um programa em família.

No Museu da Cachaça (foto) acompanhamos a história de quatro gerações da família Telles de Menezes, desde o pioneiro Dario Telles de Menezes, imigrante português que desembarcou em Fortaleza em abril de 1843 até a atual administração. Na didática e cronológica montagem dos cenários acompanha-se em cinco salas e áreas externas um resumo da imigração portuguesa para o Brasil, o início da fabricação da cachaça no engenho, o início da expansão pelo Ceará, a introdução da garrafa de 600 ml, um estudo sobre os rótulos, o papel da mulher no comando engenho e a atual modernização do grupo Ypióca.


A Sala 01 ilustrada com excelentes painéis, exposições de moedas e patacas dos séculos XVII e reprodução de cenas de engenhos. A cachaça estava aliada ao processo de dominação colonial, servida logo de manhã para os escravos ganharem ânimo para o árduo trabalho. Retrata a chegada dos portugueses ao Brasil até 1843 quando o engenho é construído.


Na Sala 02 (1843-1895) A história da apropriação e compra do terreno, construção da Casa Grande e uma réplica do alambique de cerâmica vindo de Portugal onde foi feita a primeira cachaça da fazenda.


Na Sala 03 (1895-1924), a força da mulher cearense evidencia-se através da figura de Dona Eugênia Menescal Campos que assumiu o fabrico da cachaça por 13 anos, após a viúves. É dela o rótulo original da garrafa que se vende até hoje e a idéia de usar garrafas de 600 ml. Destacamos ainda o sino, que da fazenda foi enviado para a Paróquia de Santo Antônio de Pitaguari por Dona Eugênia numa promessa feita durante um incêndio na plantação de cana e depois retomado para a Casa Grande, originando a lenda, que ao se tocar o sino, casados se separam e solteiros nunca casam.


Na sala 04 (1924-1970), o uso de tonéis de bálsamo para armazenar a bebida, mudando a cor e o sabor durante a gradação, técnicas modernas de administração (exibidas em manuscritos da época) o uso do gazonênio (feito a base de cascas de árvore e carvão vegetal) durante a 2ª Guerra Mundial como combustível para os veículos da fazenda, fotos antigas de caminhões transportando tonéis e os diferentes rótulos utilizados pela Ypióca. Representa a industrialização e início da expansão da cachaça pelo Brasil e pelo mundo “Ypióca: Delicioso Whisky Nacional. Velho 10 anos”


E na última sala (1970- atualidade) estão expostas garrafas da Ypióca, destaque para a edição francesa (garrafa de cristal) e a consolidação da Ypióca como um grupo empresarial composto de 7 empresas no Ceará e Rio Grande do Norte atuando em ramos variados, como embalagens feitas do bagaço da cana, transporte e outras. São 20 mil funcionários diretos e indiretos. Éa modernização com responsabilidade social e ambiental.


Visita-se ainda a sala dos maquinários importados nos anos 40 dos Estados Unidos e Inglaterra (O primeiro trator importado a entrar no Ceará está lá), uma rápida passagem por uma instalação de canavial com som artificial de trabalho no corte da cana, passando pela sala da mitologia grega onde descobre-se a origem nome aguardente/cachaça (tipo de vinho feito da borra de uva desde os egípcios e gregos, finalizando pela visita aos tonéis de destilação da aguardente de 1968. A partir daí você pode ir até a lojinha e degustar à vontade.

Além dos carros de bois e engenhosde cana do período colonial na entrada do museu e do maquinário utilizado na época de funcionamento da fábrica na região (atualmente a produção é feita em Ceará-Mirim no interior do Rio Grande do Norte), vale tirar uma foto ao lado do maior tonel do mundo (8 m de altura e 7,5 de diâmetro, reconhecido em 2002 pelo Guiness book. (foto)


Essa visita não estava prevista no roteiro, mas valeu a pena. E antes que eu esqueça: cachaça e aguardente é a mesma coisa, o último é usado no rótulo das garrafas para dar requinte a popular,e agora mundial, bebida.


Para ir mais longe:

1. Livro escrito por Zé Leite, antigo administrador da fazenda : Ypióca – 1846-1996 – Sua História, Minha Vida;

2. Ypióca 160 anos. A saga de uma família. A história de uma paixão. O segredo de uma lenda.


ESPORTE DE AVENTURA NO PARQUE DAS TRILHAS

Bem pertinho do centro de Guaramiranga fica O Parque das Trilhas Ecoturismo. Lá opta-se por trilhas de 30´ ou 1 hora. Durante a caminhada pela Mata Atlântica, flores típicas como a pacavi e informações sobre pássaros nativos como o Pica-pau e o João de barro, além, é claro, do Guaramiranga (que na língua Tupi significa, “pássaro vermelho”). Fizemos a Trilha do Cipó e da Judite.

No fim das trilhas chega-se a área de aventura com opções de rapel, tirolesa, ponte de três cordas e caiaque.

Lá conhecemos o Tiago, guia do Parque, que “salvou a pátria”, nos alugou um quarto e conseguiu um banho pra gente. Gelaaaaaado.


A APAIXONANTE GUARAMIRANGA

Guaramiranga, 110 km de Fortaleza é uma cidade pequena e acolhedora. São aproximadamente 6 mil habitantes dentro de uma Área de Proteção Ambiental. A maioria constrói suas casas na subida dos morros.

No passado foi uma das primeiras cidades brasileiras a produzir café e acolheu muitosrefugiados das grandes secas do sertão brasileiro do século XVIII. Atualmente, o turismo tem se consolidado como principal atividade econômica da região. Os eventos culturais se sucedem durante o ano inteiro: Festival de Jazz e Blues, em fevereiro; Guaramiranga em Férias, julho; Festival Nordestino de Teatro, setembro; Festival de Gastronomia, outubro; Festival de Vinhos, novembro; Guramiranga: Natal, Luz e Festival da Cerveja, em dezembro.

Além disso, belas paisagens, muitas flores, bonsrestaurantes (comida francesa, italiana e alemã), pousadas aconchegantes, e um cenário cultural que remonta ao século passado quando as famílias tradicionais de Fortaleza encenavam peças e organizavam recitais enquanto veraneavam na cidade, como relata Rachel de Queiróz em uma de suas obras, fazem de Guaramiranga uma cidade aprazível e romântica. Simplesmente apaixonante.



O 10º FESTIVAL DE JAZZ E BLUES GUARAMIRANGA


O evento de grande porte é organizado pela “Via de Comunicação e Cultura” e “Diário do Nordeste”, com apoio dos governos federal, estadual e municipal e patrocínio de grandes empresas. A direção é de Maria Memede e Rachel Gadelha que coordena uma equipe de mais desetenta pessoas.

A programação do evento está distribuída pela cidade com apresentações gratuitas e paga, no Teatro Rachel de Queiroz (400 luga

res, com p

reços salgados, direito à meia-entrada com carteira de estudante); Quadra Municipal; escolas e ruas da cidade.

Durante o festival rolam ensaios abertos com os principais convidados do evento,

shows de novos talentos, as imperdíveis Jam Sessions que começam meia-noite na Quadra Municipal, oficinas e bate-papo com músicos consagrados e os cortejos, geralmente às 17 horas que levam boa música e diversão pelas ruas da

cidade.

Esse ano o festival homenageou Dominguinhos, mas a programação esquentou com as presenças de César Camargo Mariano; Ná Ozzeti; Arthur Maia, Dixie Square Jazz Band, Paulo Meyer (pioneiro do blues no Brasil), Lanny Gordin, Beale Stret, Timbral e Toots Thielmans.

Além disso, pelos cantos da cidade era comum se esbarrar com uma galera fazendo um som casual de primeira.

Fotos: Novos Talentos da Ong Verde Vida (Crato-CE); Timbral (CE); galera na rua fazendo um som e Jam Seassion (Jeferson Gonçalves (CE) na gaita e a guitarra do Beale Street do RJ )


NA OZZETTI - A VOZ E O REQUINTE

Na estrada a muito tempo, a cantora e compositora paulista é da mesma safra que Tetê Spindola e Itamar Assumpção. Também participou e ganhou uma edição do Festival da Música Brasileira promovido pela Rede Globo em 2000. “Dona de um timbre de voz inconfundível, ela canta com o corpo e com a alma”. Como pude demorar tanto para conhecer “a voz”. Noensaio aberto, estendido por cortesia, no show sofisticado, o repertório de Carmem Miranda, Ary Barroso, Rita Lee, Itamara Assunção, parceria com Zélia Duncam, imperou o requite. Do seu rico e variado repertório indico a faixa Capitu que fechou sua apresentação no festival. Valeu a pena viajar tanto para curtir o show e conhecer de perto esse encanto de pessoa.(Foto: Sérgio Reze, Marcus Saldanha, Ná Ozzeti, Ângela Galvão e Mário Manga)


O DOCE GOSTO DE UMA SAUDADE


O regresso foi pelo lado inverso da serra do baturité, passando pelos Jesuítas, em Baturité, Redenção (onde vistamos o inesperado Museu do Negro Liberto, Tianguá, Viçosa (com paradinha tradicional na Casa dos Licores), almoço na churrascaria Canaã, na estrada de Brejo até São Luís.

Saímos de Guaramiranga com o doce gosto de saudade e um chocolate quente a mais para aquecer o coração, o corpo e a mente para que permaneçam são até o ano que vem.(Foto: Empório do Chocolate no centro de Guaramiranga)


O MOSTEIRO DOS JESUÍTAS

Na visita aos Jesuítas, 14 km de Baturité conhecemos um pouco da história da Companhia de Jesus no nordeste do Brasil.

Construído a partir de 1922 no antigo sítio Olho D´agua no então decadente município de Baturité, com pedra fundamental do Colégio Jesuíta colonial de Aquiraz, o prédioinaugurado em 15 de agosto de1927 serviu como escola apostólica formando religiosos até recentemente.

Em 1933 recebeu a visita de Getúlio Vargas, por motivo da seca de 1932. Nesse mesmo período respirou ares do integralismo brasileiro. Sofreu com a crise financeira oriunda da Segunda Guerra Mundial, pois muitos pais não puderam pagar a anuidade dos estudos de seus filhos, em torno de mil contos de réis e viveu a polêmica na imprensa cearense ebrasileira na ocasião de sua construção, devido ao lugar e a admissão de alunos que a princípios seriam brancos e de boa aparência, orientação que foi mudada antes de ser colocada em prática.

Além do prédio vale a pena visitar a capela, com destaque para o mural dos 40 mátires jesuítas mortos na época dos Descobrimentos Portugueses, beber da água de Santo Inácio e conhecer um pouco da história dos jesuítas, com imagens e biografias expostas nos corredores do colégio.

Atualmente é utilizado para retiros espirituais e atende hóspedes com reservas atencipadas.


Para ir mais longe:

O xerocado do Doutor em História da América Latina pela The Catolic University of America: A Missão Portuguesa da Companhia de Jesus no Nordeste (1911-1936). Pe. Ferdinand Azevedo. Recife. Fundação Antônio dos Santos Abranches-Fasa.1986.


O MUSEU DO NEGRO LIBERTO


A 50 kilômetros de Fortaleza, outra inesperada surpresa, Museu Senzala do Negro Liberto, as margens da CE-060, em Redenção. No Engenho Livramento, encontramos uma Casa-Grande com senzala no porão preservada desde o século XVII e o engenho de cana-de-açúcar onde ainda hoje é fabriacada a aguardente Douradinha.

A cidade, carrega a fama de ter libertado seus escravos cinco anos antes da abolição

de 1888 pela princesa Isabel. Evento que contou com a presença de nomes como o de José do Patrocínio em 1883.

Na fazenda, a cachaça Douradinha foi produzida pelos escravos a partir de 1873, continuou com os libertos e se modernizou com o engenho a vapor que funionou por 13 anos desde 1913.

Atualmente, o engenho industrial funciona na época da safra da cana-de-açúcar no Ceará, no período de agosto a dezembro e ainda produz de 8 a 15 mil litros de cachaça.

Mais o que vale da visita é a Casa Grande e a Senzala. Na exposição com instalações simples e pouco estrurada, Vê-se objetos inusitados como a cabeça de boi de 1959 utilizada pelos coronéis para guardar a cachaça e um grande acervo histórico tais como, caneta bico depena com a escritura das terras da fazenda de 1885 vendida após a bolição e escravos na região, o piso de mosaico português original do século XVII, instrumentos de suplícios, gargalheiras (utlizadas a partir das 5 horas da manhã, quando tocava o sino para início do trabalho, instrumento odontológico utilizado para tortura, cristaleira e um quarto com mobília de 1930, e uma cozinha com um fogão a le

nha onde uma escrava teria sido queimada viva.

Nada como estar no local dos fatos. A sensação dentro de uma senzala é de angústia. Não havia banheiros (faziam as necessidades em folhas de bananeiras, dentro da senzala), iluminação, nem local para dormir. Anda-se por dentro agachado e iluminado por uma lanterna da guia. Além dos objetos de suplício, impressiona o local da solitária. Mal cabe uma pessoa. Chocante também um local com três gargalheiras onde segundo a guia, colocava-se pai, esposa e filho por duas horas para que a disciplina e o medo fosse passado para a família inteira.

Após a Lei Eusébio de Queiróz em 1850, que extingui o Tráfico Negreiro, escravos da canela fina eram escolhidos para a reprodução de novos escravos. Na visão dos Senhores

, estes eram mais aptos ao trabalho. Nessa condição, esses escravos ganhavam tratamento diferenciado, mas não justo.

Interessante também, visualizar a senzala das Mucamas. De 6 a 8 na fazenda, viviam separadas dos demais para não contaminar a família com piolhos e doenças. Nela vê-se uma janela (por onde supostamente os senhores a escolhiam para amasiar e uma portinha por onde eram levadas para dentro da casa.

Entre o piso da Casa e a senzala as Mucamas passavam açúcar para calar a boca dos bebês que choravam durante à noite e corriam o risco de serem castigadas pelos amos.

Pode-se ver além do maquinário, da Casa Grande e da Senzala as plantações de cana-de-açúcar que em outros tempos, na época da antiga vila de Acarape (que significa “cala a boca), tinha um gosto amargo de dor, crueldade e humilhação de um povo. Mas hoje, em Redenção vira momento de reflexão do que nós seres humanos já fomos capazes de fazer com o nosso semelhante.

Dizem por lá, que Ceará Terra do Sol, remete à liberdade conquistada cinco anos antes da abolição oficial. Gosto mais ainda dessa luz do Ceará agora.

Por motivos óbvios em 2010 Redenção será a sede da Universidade Federal de Integração Luso-AfroBrasileira com abertura de mais de 2 mil vagas para alunos do Brasil, Portugal, África, Timor Leste e Macau.


A CASA DOS LICORES


Desde 1960 a Casa dos Licores, em Viçosa interior do Ceará, no alto da serra da ibiapaba produz “artesanato alimentar”. São licores, cachaça velha, petas, bolinhos, sequilhos, balas, compotas, doces e geléias. São 54 sabores de licor feitos à base de frutas e ervas (sugiro os especiais de pétala de rosas, mel echocolate).

Impossível não se sentir em casa com a hospitalidade de Dona Terezinha que pela lateral da casa nos convida a entrar pela cozinha onde tudo é feito e adentrar pela a sala onde pode-se experimentar umpouco de tudo à vontade, ouvindo Seu Alfredo tocar seu pife, e com muita sorte, acompanhado de sua filha Tereza Cristina no vocal. (Momentos raros que devem ser desfrutados plenamente).

Pela terceira vez, passando pela casa de Seu Alfredo, pergunto a jovem atendente da casa:

- Como é a vida em Viçosa do Ceará?

A jovem atendente pergunta: - Você faz o quê?

- Sou professor, respondo.

- A vida aqui é muito boa.

O clima é gostoso e vai ter concurso para professor no Ceará. Li que o deputado petista Arthur Bruno tenta aprovar um projeto na Câmara para que além da prova escrita os professores sejam submetidos a prova didática.

É hora de voltar para casa.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Milagres do Maranhão

Olá,
essa foto foi tirada em 2002 quando estive ministrando uma palestra de formação de professores em Milagres do Maranhão. O flagrante é da gurizada de bobeira no local, onde reza a lenda, aparece na fresta da rocha, a imagem de Nossa Senhora.
É uma tradição antiga dos fiéis, depositarem ex-votos (objetos de cera ou madeira, no formato de partes do corpo humano) em troca de alguma graça . S ua difusão ocorreu após o Concílio de Trento (1545-1563), que serviu de base para o esforço da Igreja Católica destinado a conter o avanço protestante da época.
Ontem, na casa de Marcos Caldas, responsável pela arte do meu livro História do Maranhão, lembrei da foto acima.
O cara tá entrevado por causa da coluna e quer pular o carnaval. Segundo ele, a solução era fazer uma réplica completa dele de cera e levar para alguma cidade distante com ex-votos.
Taí a dica: Milagres do Maranhão.
Foto: Marcus Saldanha

Carnaval 2009 - Passarela do Samba de São Luís

Hoje, quinta-feira (19), a prefeitura de São Luís promove a abertura oficial do carnaval 2009, na Passarela do Samba (Anel Viário). Na ocasião, haverá a entrega da chave da cidade pelo prefeito João Castelo à Corte Momesca.
A noite estará recheada de atrações: desfile do Bloco Afro Ominirá, cortejo de Danças Portuguesas, embaladas pelas baterias das escolas de samba Flor do Samba e Marambaia, e, encerrando a festa, show de Mano Borges (Manobloco). A entrada é gratuita e os ingressos deverão ser retirados na bilheteria da passarela.

Passarela do Samba na sexta-feira gorda (20)
Na sexta-feira (20), as tribos de índios Tapiaca, Uhu, Guarany e Itapoá, abrem a programação, a partir das 17h. Às 18h, é a vez dos blocos tradicionais Os Boêmios do Ritmo e APAE (hour concour). Logo em seguida, acontece o concurso, com o desfile dos 17 blocos tradicionais do grupo "B". A entrada é gratuita e os ingressos deverão ser retirados na bilheteria da passarela.
Passarela do Samba no sábado (21)
No sábado (21), a folia começa a partir das 17h, com os desfiles das tribos de índios Carajás, Sioux, Upaon, Açu e Tupiniquins. Logo em seguida, a partir das 18h, é a vez dos 24 blocos tradicionais do grupo "A".

Passarela do Samba no domingo (22)
No domingo (22), a partir das 16h, a folia fica por conta das turmas de samba Fuzileiros da Fuzarca, Vinagreira do Samba e Ritmistas Unidos da Madre Deus. Em seguida, acontece o desfile dos blocos afros Aruanda, Didára, Garotinho Beleza e Juremê.
Às 19h, começa a apresentação das escolas de samba Terrestre do Samba, Túnel do Sacavém, Marambaia, Unidos de Fátima e Favela do Samba. Os ingressos serão disponibilizados na bilheteria da Passarela (Arquibancadas= R$ 10,00/ Cadeiras de Pista= R$ 15,00).

Passarela do Samba na segunda (23)
Dia 23, a abertura é a partir das 17h com os blocos afros Neto de Nanã, Abibimã, Officina Affro e Akomabu. Entre 19h15 e 01h15, entram na passarela as escolas de samba Unidos de Ribamar, Mocidade Independente da Cohab, Império Serrano, Flor do Samba e Turma do Quinto. Os ingressos serão disponibilizados na bilheteria da Passarela (Arquibancadas= R$ 10,00/ Cadeiras de Pista= R$ 15,00).

Passarela do Samba na terça (24)
A folia começa a partir das 18h, com a passagem das alegorias de rua Casinha da Roça, Tapera e Tijupá. Entre 19h e 00h35, a vez é do desfile de 17 blocos organizados. O show de encerramento fica por conta dos shows do bloco afro Gdam, de Célia Sampaio e da banda Manu Banto.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Blaise Cendrars: um viajante inveterado


Olá,
Sempre gostei de viajar e de ler histórias de viajantes. Marco Pólo, Cristóvão Colombo ..., e agora, através de Affonso Romano de Santana conheci um pouco da vida e obra de Blaise Cendrars, definido por este como “um homem pasmo diante da vida que foi ao fim do mundo tentando exaurir e curtir a vida que lhe foi dada”.
Nasceu num trem italiano quando sua mãe escocesa regressava do Egito. Foi registrado como suíço e faleceu em Paris. Intelectual e agitador cultural, amante irriquieto, jornalista eventual, pretenso horticultor, crítico de arte, soldado mutilado na Primeira Guerra Mundial e viajante inveterado.

O post de ARS é sobre o livro “Holywood – A Meca do Cinema”, que relata a viagem de Cendrars pela cidade do cinema na década de 30. Mas para os maranhenses, talvez outra obra citada no post chame mais atenção pela dedicatória: “Folhas de Viagem Sul Americanas" (EUPA, 1991), publicado em 1924, fruto da passagem de Cendrars pelo Brasil, dedicado aos seus “bons amigos” de São Paulo e Rio de Janeiro, entre eles, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Sérgio Buarque de Holanda, Ronald de Carvalho e o maranhense Graça Aranha.

Sobre esses viajantes inveterados, nunca sei se admiro mais a obra ou a vida que tiveram.

O Correspondente Brasileiro de Charles Darwin


Olá,
Se Charles Darwin pudesse dar uma festa hoje, por ocasião de seus 200 anos, o nome do alemão Fritz Müller (1822-1897) certamente estaria entre os convidados. O naturalista, que vivia em Santa Catarina, foi o primeiro a testar em campo, e aprovar, as idéias lançadas por Darwin sobre a evolução dos seres vivos em 1859, história que começou a ficar mais clara na última década.
A amizade entre Darwin e Müller, que nunca se viram pessoalmente, surgiu a partir da leitura que o naturalista inglês fez da obra de Müller intitulada "Para Darwin", em 1865. O livro fora escrito dois anos antes em Desterro, atual Florianópolis. O "Origem das Espécies" é de 1859. A troca de cartas entre ambos durou até 1882, quando Darwin morreu.

Isso só reforça a tese de que a produção científica é de fato coletiva. A idéia do indivíduo isolado em laboratório por anos desenvolvendo conhecimento sem contato com outros pesquisadores é coisa de gibi ou filme.

Para ir além, leia a matéria da Folha de São Paulo, publicada também no Jornal da Ciência em 12/02.
E quem sabe agora com toda essa repercussão, o Museu Fritz Müller em Blumenau, pouco divulgado pelos guias de viagens impressos, não disponibiliza uma visita virtual ao seu acervo!

Banco Imobiliário Agrário


Olá,
Lembra aquele jogo, o Banco Imobiliário? Cada jogador iniciava a partida com uma certa quantia inicial pré-determinada de dinheiro, jogava dados e tomava decisões sobre comprar ou vender bens, a fim de aumentar sua fortuna. Pois é! Particulares, empresas e governos estão comprando ou arrendando grandes extensões de terra em países como Argentina, Senegal, Uganda, Indonésia, Madagascar, Sudão, Etiópia e, dizem as más línguas, Brasil.

O jogo em questão, não é por diversão. Envolve uma questão muita ampla de segurança alimentar.

Leia o artigo Terra em Transe de Jean Remy Guimarães do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho e Universidade Federal do Rio de Janeiro, publicado na Revista Ciência Hoje On Line em 16/01/2009.

Foto: Vista aérea do fértil vale do rio Nilo

Aula de História em 3 minutos

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Jazz e Blues no Carnaval


Olá,

a boa do carnaval será o X Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga - CE. Dominguinos será o grande homenenageado do festival que contará ainda com shows de César Camargo Mariano, Toots Thielemans (Bélgica), Dixie Square Jazz Band (RJ) - jazz tradicional de New Orleans e muita gente boa do Brasil e do mundo.

Além do festival, a cidade com menos de 6 mil habitantes, oferece o clima ameno da serra (média 20 graus), romantismo (eleita em 2008 a segunda cidade mais romântica do Brasil), cachoeiras, trilhas ecológicas, vistas fantásticas (Mirante da Linha da Serra e Pico Alto - o segundo ponto mais alto do Ceará, com 1.115 m) e um parque de ecoturismo.

A cidade de Guaramiranga fica a 99 km de Fortaleza e durante o carnaval é a melhor pedida para ouvir boa música, relaxar e curtir boas aventuras.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

"Maranhão que vi"






Olá,
O marcushistorico esteve no lançamento do livro Maranhão Que Vi (fotos) na última quinta-feira (12) no Palácio Henrique de La Roque. O Livro produzido por meio da FAPEMA (Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão) com textos de membros da Associação dos Correspondentes Estrangeiros (ACE), que visitaram o Maranhão em agosto de 2008, à convite do governo do Estado, é um olhar de estrangeiros sobre o Maranhão. São 72 páginas de relatos variados sobre o cotidiano local, as paisagens naturais, o patrimônio arquitetônico e cultural e perspectivas econômicas e sociais de desenvolvimento para o Maranhão.
Na ocasião, conversamos rapidamente com o diretor-presidente da FAPEMA Prof. Dr. Sofiane Labidi sobre o PIBIC JR: "Continuaremos concedendo bolsas para projetos de pesquisa de alunos do Ensino Médio da rede estadual de ensino".
Moçada, comecem a pensar em projetos! Avisamos quando o edital for divulgado.
Fotos: Nina Mochel

SL receberá título de ''Capital Brasileira da Cultura''

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, confirmou ao secretário municipal de Turismo, Liviomar Macatrão, a entrega do título “Capital Brasileira da Cultura” a São Luís. A honraria será passada às mãos do prefeito João Castelo em uma solenidade marcada para o dia 10 de março.

Um calendário anual de atividades foi montado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur), e da Fundação Municipal de Cultura (Func), em comemoração ao título “Capital Brasileira da Cultura”. O objetivo é proporcionar um maior conhecimento mútuo da identidade nacional, além de fomentar a auto-estima dos cidadãos através da promoção e divulgação das culturas regionais. Outro aspecto positivo é a criação de um novo campo para o desenvolvimento do marketing cultural e do crescimento do turismo cultural no Brasil.

A capital maranhense foi escolhida por um júri constituído por representantes dos Ministérios da Cultura e de Turismo do Brasil, de anteriores capitais culturais e pelo Bureau Internacional de Capitais Culturais. As outras cidades candidatas foram Areia (PB), Mariana (MG), Montenegro (RS) e Senador Pompeu (CE).

Também já receberam o título de “Capital Brasileira da Cultura” as cidades de Olinda (PE), em 2006; São João del Rei (MG), em 2007, e Caxias do Sul (RS) em 2008.

A candidatura da capital maranhense ao título foi uma iniciativa do São Luís Convention & Visitors Bureau em parceria com a Prefeitura, por meio da Func. O título colocará São Luís, definitivamente, no roteiro turístico qualificado e especializado nacional e internacional.

Fonte: O Estado do Maranhão

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Além das Novelas


Olá,

relutei em vão! Mas, com esse post, inauguro a categoria televisão no marcushistorico. Desde o mês passado venho acompanhando o blog do novelista Agnaldo Silva. O cara tem um verdadeiro baú de fotos históricas e um bom acervo de arte em casa. Além disso, descreve a "feitura" das novelas, realiza debates sobre roteiro com os leitores, disponibiliza capítulos para serem lidos e baixados, comenta e critica novelas, livros e filmes atuais e antigos.

Então, se já falávamos da arte do futebol, o que custava discutir televisão também?

Foto: Agnaldo Silva com a escultura do cavaleiro francês Bertrand du Guesclin, do séc. XIV que inspirou A Bela e a Fera, esculpida por Fremiet

Lista Indicados Oscar 2009

Algumas categorias:


Melhor Filme
Frost/Nixon
O Curioso Caso de Benjamin Button
O Leitor
Milk - A Voz da Igualdade
Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Ator
Brad Pitt
Sean Penn
Frank Langella
Mickey Rourke
Richard Jenkins

Melhor Atriz
Meryl Streep
Anne Hathaway
Kate Winslet
Angelina Jolie
Melissa Leo

Melhor Ator Coadjuvante
Josh Brolin, por Milk - A Voz da Igualdade
Robert Downey Jr., por Trovão Tropical
Philip Seymour Hoffman, por Dúvida
Michael Shannon, por Foi Apenas Um Sonho
Heath Ledger, por Batman - O Cavaleiro das Trevas

Melhor Atriz Coadjuvante
Penélope Cruz, por Vicky Cristina Barcelona
Viola Davis, por Dúvida
Amy Adams, por Dúvida
Taraji P. Henson, por O Curioso Caso de Benjamin Button
Marisa Tomei, por O Lutador

Melhor Diretor
O Leitor, Stephen Daldry
O Curioso Caso de Benjamin Button, David Fincher
Quem Quer Ser Um Milionário?, Danny Boyle
Milk - A Voz da Igualdade, Gus Van Sant
Frost/Nixon, Ron Howard

Melhor Filme de Animação
Kung Fu Panda
Wall-E
Bolt - Supercão

Melhor Roteiro Adaptado
DúvidaQuem Quer Ser Um Milionário?
O Curioso Caso de Benjamin Button
Frost/Nixon
O Leitor

Melhor Roteiro Original
Milk - A Voz da Igualdade
Wall-E
Na Mira do Chefe
Simplesmente Feliz
Rio Congelado

Melhor Fotografia
A Troca, Tom Stern
O Curioso Caso de Benjamin Button, Claudio Miranda
Batman - O Cavaleiro das Trevas, Wally Pfister
O Leitor, Chris Menges e Roger Deakins
Quem Quer Ser Um Milionário?, Anthony Dod Mantle

Melhor Direção de Arte
O Curioso Caso de Benjamin Button, Donald Graham Burt, Victor J. Zolfo
A Troca, James J. Murakami, Gary Fettis
Foi Apenas Um Sonho, Kristi Zea, Debra Schutt
Batman - O Cavaleiro das Trevas, Nathan Crowley
A Duquesa, Michael Carlin, Rebecca Alleway

Melhor Figurino
Austrália, Catherine Martin
O Curioso Caso de Benjamin Button, Jacqueline West
A Duquesa, Michael O’Connor
Milk - A Voz da Igualdade, Danny Glicker
Foi Apenas Um Sonho, Albert Wolsky

Melhor Montagem
O Curioso Caso de Benjamin Button, Kirk Baxter e Angus Wall
Batman - O Cavaleiro das Trevas, Lee Smith
Frost/Nixon, Daniel P. Hanley e Mike Hill
Milk - A Voz da Igualdade, Elliot Graham e Gus Van Sant
Quem Quer Ser Um Milionário?, Chris Dickens

Melhor Maquiagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Hellboy 2

Melhor Trilha Sonora original
O Curioso Caso de Benjamin Button, Alexandre Desplat
Defiance, James Newton Howard
Milk - A Voz da Igualdade, Danny Elfman
Quem Quer Ser Um Milionário?, A.R. Rahman
Wall-E, Thomas Newman

Melhor Canção
Wall-E, com Down to Earth
Quem Quer Ser Um Milionário?, com Jai Ho
Quem Quer Ser Um Milionário?, com O Saya

Melhor Edição de Som
Batman - O Cavaleiro das Trevas, Richard King
Homem de Ferro, Frank Eulner, Christopher Boyes
Wall-E, Ben Burtt, Matthew Wood
Quem Quer Ser Um Milionário?, Tom Sayers
Procurado, Wylie Stateman

Melhor Mixagem de Som
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
Procurado

Melhores Efeitos Visuais
O Curioso Caso de Benjamim Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Bolívia Querida na Copa do Brasil


O torcedor tricolor já poderá adquirir o ingresso para a primeira partida oficial do Sampaio, nesta temporada contra o Figueirense-SC, no dia 18 de fevereiro pela Copa do Brasil.
Além do CT no Turu, os ingressos estarão à venda em vários pontos da cidade como: a HCG, BM Sports e Postos Cadilhe. Os preços são os seguintes: R$ 30,00 (cadeira), R$ 10,00 (arquibancada), R$ 15,00 (estudantes na cadeira) e 5,00 (estudante na arquibancada).
A partida entre Sampaio e Figueirense vai acontecer às 21h50 por conta do televisionamento para Santa Catarina, no Estádio Municipal Nhozinho Santos.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Talento Musical


Olá,

Quando eu tinha uns 10 anos, morava na Vila Bessa no centro da cidade e ia andando todo dia para a escola. Para sair do meu bairro havia uma ladeira, que no sol quente ficava mais íngreme. A "escalada" era atenuada por um dedilhar de piano. Era Edinho Bastos na sua adolescência. Ali desejei tocar um instrumento pela primeira vez.


Depois, mudei de casa, bairro e "aprendi" a tocar violão: Legião Urbana, Titãs, Engenheiros do Hawaí...músicas com poucas notas.

Mas com o tempo vieram as menores, diminutas, terças, o solfejo... duas reprovações na escola de música.

Tentei bateria, flauta doce, gaita e teclado. Enfim, não fui adiante na música, mas sempre me integrei com caras de talento na Ilha. Raimundo Makarra, Zeca Baiano, Alfredo Filho, Miguel Ahid, Djalma Lúcio, Nivandro, Fernadinho...

Mas é como já disse Affonso Romano de Santana: para ser um bom músico recomenda-se aprender chinês ou deixar um raio cair na cabeça.
Qual será o caso desses caras?

Marcelo Rubens Filho na blogosfera


Olá,

O cara é de talento: jornal, teatro, tv...e agora postando no blog. http://blog.estadao.com.br/blog/marcelorubenspaiva/

Nesse post, Marcelo narra um fragmento da peça A Noite Mais Fria do Ano. Isso sim, vale uma espiadinha.

Ler o blog me fez voltar no tempo: Cine Alpha com minha mãe "Feliz Ano Velho" e leitura sem a obrigação escolar, aos 13 anos. E pensar no presente, esse louco "on iverso" blog, que compartilhamos.

Exposições Carnavalescas no Centro Cultura Popular Domingos Vieira Filho



A Superintendência de Cultura Popular, apresenta na próxima sexta-feira, 13/02, a partir das 18h, no Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho - Rua do Giz, 205, as exposições “Bebeô: escreteando a folia” e “Eu, gênio do carnaval”, com participações do bloco afro Akomabu e a Escola Favela do Samba. As exposições serão montadas pelo artista plástico e diretor do Centro de Cultura, Cláudio Vasconcelos e fazem parte do Carnaval da Maranhensidade 2009: É só alegria!



A exposição “Bebeô: escreteando a folia”, (Galeria da Biblioteca Roldão Lima) homenageia Escrete, uma das figuras mais populares do carnaval maranhense, e apresenta fotos que retratam a sua trajetória artística.Cantor e compositor eclético, possuía uma poesia fantástica em suas composições de afoxés, sambas-enredos, toadas de bumba-meu-boi e músicas para blocos de ritmos.
Nascido em São Luís em 1953, José Henrique Pinheiro Silva, “Escrete”, começou sua carreira artística em 1979, no bairro da Liberdade com a música Palafita , interpretada pelo grupo Rabo de Vaca.. Compôs também para a extinta escola de samba Unidos da Camboa e com o enredo Encantos do Mar foi campeã.
A partir de 1980, com o samba “Mariquinha do Sacavém passou a fazer parte da escola Favela do Samba, sua grande paixão, onde permaneceu como compositor durante 22 anos.
Sua primeira gravação fonográfica, o LP “Malungos”, se destaca como o primeiro registro de música afro-maranhense, levado às ruas pelo bloco Akomabu. Gravou dois grandes sucessos “Gaiola não é prisão pra negro” em parceria com Joãozinho Ribeiro e “Sereia”, com Carlos Gomes e Nicéas Drumond, que se tornou o hino do carnaval maranhense.
Militante de causas sociais, Escrete destacou-se na Sociedade de Direitos Humanos e no Centro de Cultura Negra (CCN-MA).Suas composições tinham como base a sua espiritualidade , ligadas às entidades do culto afro e à defesa dos movimentos negros.
Falecido em 25 de janeiro de 2007, Escrete deixa um legado musical expressivo para a cultura popular maranhense e saudade no coração de todos que com ele conviveram.



A exposição “Eu, gênio do carnaval”, será aberta às 18:30h, na Casa da FÉsta, ( Galeria Zelinda Lima ) e apresentará uma mostra da arte carnavalesca de Eugênio Araújo, com fotos, filmes, desenhos de fantasias e alegorias, e ainda o projeto da Turma do Quinto para este ano de 2009, que traz para a passarela do samba o enredo Uma luz francesa ilumina São Luís no sonho do carnaval.
Artista e pesquisador de escolas de samba no Maranhão e no Rio de Janeiro, Eugênio é professor do Curso de Educação Artística da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
A partir de 1992, Eugênio começou a trabalhar com montagem de alegorias em várias escolas de samba cariocas, como : Viradouro, Imperatriz Leopoldinense, Unidos de São Carlos, Unidos da Tijuca, Mocidade Independente de Padre Miguel, e em São Paulo, trabalhou na Vai-Vai e Unidos de Vila Maria.
Em 1997 realizou sua primeira exposição de arte carnavalesca na galeria do SESC, período de crise nas escolas de samba de São Luís, o que resultou na publicação do livro Não deixa o samba morrer (dissertação de mestrado), onde demonstra a importância das escolas de samba para o carnaval ludovicense como brincadeira genuinamente maranhense. O livro que estará a venda na exposição, hoje é uma das principais referências entre os estudos carnavalescos.
Eugênio Araújo, estudou ainda as pequenas escolas de samba cariocas, devido as semelhanças de dificuldades com as escolas de São Luís. E atualmente pesquisa as escolas de samba do Piauí e Pará.

Foto: Portal Governo do Estado do Maranhão
Fonte: Elo Internet

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Desfile da Grife Ana Tsuji

Olá,
a dica é do marido de Ana, o professor Túlio Tsuji. A designer Ana Tsuji, além de trabalhar com publicidade e markenting é conhecida na cidade pelo seu trabalho de customização de roupas e acessórios. O desfile será apresentado num palco adaptado na Praça Nauro Machado, já no clima de carnaval.
Dia 12 de fevereiro às 19:30

O Diário de Benjamin Button




Olá,
O curioso caso de Benjamin Button, todo mundo já sabe: ele nasce velho e vai rejuvenescendo ao longo da vida. Mas a minha indagação do filme, parte da leitura do diário do protagonista: com a morte diante de nós, o que de fato vale a pena na vida?

Amar, aprender com os mais velhos, trabalhar, conhecer pessoas e lugares diferentes, pilotar moto, velejar, conversar noite adentro, o pôr-do-sol?

Diante de tudo isso um relógio que é a chave do (meu, dele, nosso) mistério.

A escritora Adélia Prado já dizia há muito tempo: O mais importante da vida são as coisas ordinárias, cotidianas e não as coisas extraordinárias que fazemos.

A vida do outro contada por um diário, para mim, é mais curioso do que a anomalia retratada no filme.
Obs. Modificado em 12/02/09

Programação Parque Botânico Vale - Fevereiro


A programação do Parque Botânico Vale deste mês foi especialmente preparada para homenagear o Carnaval. São oficinas, exposições, cursos e atividades voltadas para todas as idades.

De 11 a 13/02, das 9h às 12h, o artista plástico Dalton Costa ensinará como reutilizar resíduos na produção de artigos carnavalescos, com a oficina "A arte das máscaras de carnaval".
O artista começou na infância, incentivado pelo pai e já produziu bonecos gigantes, além de adereços e cenários para espetáculos. Segundo Dalton, as peças são feitas com reaproveitamento de sucata, que ele denomina de "arte com sucata".

A exposição "Fantasias e Máscaras" ficará em cartaz no Salão de Exposições, de 17/02 a 08/03, das 9h às 17h. A mostra pretende revelar a delicadeza e o luxo das fantasias do Carnaval maranhense. São adereços de escolas de samba e blocos carnavalescos locais, sempre com foco na preservação do meio ambiente.

Dando continuidade a programação, acontece de 06 a 15/02 a exposição "Arte do Fogo", que reúne trabalhos em azulejos e porcelanas de 23 alunos das comunidades da Camboa e Itaqui-Bacanga.
Com o tema, Conservação de Áreas Protegidas, a bióloga Laís Rego falará sobre a função e as características de áreas verdes protegidas como parques e reservas, dentro dos grandes centros urbanos. No curso, que será realizado de 17 a 19/02, a bióloga vai expor exemplos das áreas maranhenses protegidas e seus principais impactos.

Cultivar pequenas hortas em espaços como uma cobertura ou varanda de apartamento, terraços, quintal ou até mesmo um pequeno vaso estão entre as técnicas que serão ensinadas no curso "Hortinha de Temperos", que acontece de 10/02 a 14/02, das 9h às 12h, no viveiro de mudas do Parque.
Os alunos conhecerão os materiais necessários para montar a hortinha e os cuidados que cada espécie necessita. Também receberão uma apostila sobre as ervas mais usadas na culinária.

E durante todo o mês de fevereiro acontece a Caminhada Orientada do Parque. A proposta é unir os benefícios da atividade física ao prazer de contemplar a natureza. O programa atende 100 pessoas e inclui avaliação física e instruções de coordenação motora, para que assim, o participante alcance resultados satisfatórios.
Os encontros acontecem três vezes por semana, das 7h às 9h da manhã. Além do acompanhamento com profissional de educação física, ao longo de cada mês, os participantes recebem informações em palestras educativas sobre os benefícios da caminhada, combate ao sedentarismo, atividade física na terceira idade, motivação e saúde, obesidade; entre outros temas.

As aulas temáticas são uma atração à parte, nelas o participante conhece outras alternativas de atividades físicas, como o tai chi chuan, yoga, ginástica dos animais, shiatsu (massoterapia), ginástica holística, dança de salão (ritmo de carnaval). Confira as datas: dia 12/02 - Oficina de Dança de Salão (Ritmo de carnaval), dia 17/02 - Prática de Ginástica localizada, dia 19/02 - Palestra sobre alimentação saudável, dia 26/02 - Aula de Yoga.

O Parque oferece ainda ao visitante como opção de passeio as exposições permanentes sobre a Vale e os Ecossistemas do Maranhão, além das trilhas ecológicas. O visitante deverá ficar atento aos horários de saída dos grupos às trilhas: 9h40, 10h40, 14h40, 15h40. É recomendado utilizar calça e sapatos fechados para percorrer as trilhas.
Inscrições e agendamento de visitas ao Parque Botânico podem ser feitos por telefone: 3218 - 6245.

Maria Aragão



Nesta terça-feira (10), a mais célebre militante comunista maranhense, Maria Aragão, completaria 99 anos. Para comemorar o aniversário, a prefeitura de São Luís, através da Fundação Municipal de Cultura (Func), promoverá visitações públicas, durante todo o dia, de escolas ao memorial Maria Aragão. As visitas serão acompanhadas de monitores, que farão relatos da vida e obra da consagrada médica.


O ponto alto da programação será a apresentação do monólogo "A Besta Fera", às 19h00, de Gisele Vasconcelos com a atriz Maria Ethel. O espetáculo também acontece no Memorial e o público terá acesso liberado.


A eterna defensora das bandeiras libertárias continua a ser referência para a luta popular do Maranhão. Maria Aragão fez história como líder do Partido Comunista do Brasil (PCB), no Maranhão. Médica, ela enfrentou as oligarquias políticas, em pleno regime militar, e sofreu as perseguições promovidas pela ditadura.


O espetáculo - "A Besta Fera" é uma peça teatral, que trata da vida da maranhense Maria José Camargo Aragão (1910-1991), a conhecida Maria Aragão. Sua história tem origem na extrema pobreza, mas logo parte em busca da superação da fome, do preconceito, da agressão e da perseguição do sonho de ajudar a humanidade. Através da medicina, Maria Aragão entrega-se às causas sociais, lutando por uma sociedade justa e igualitária. Desse modo, torna-se uma revolucionária, ícone do humanismo.


Esta montagem, solo da atriz Maria Ethel, cuja performance cênica evoca a emoção, mostra a militante como símbolo de luta e lição de vida. O texto da peça foi escrito a partir de depoimentos históricos de Maria Aragão e de fatos reais de sua vida.


FICHA TÉCNICA
ATRIZ: Maria Ethel
DIREÇÃO: Gisele Vasconcelos
TEXTO (org.): Gisele Vasconcelos e Maria Ethel
DIREÇÃO MUSICAL: Cesar Teixeira
ILUMINAÇÃO: Wagner Heineck
CENOGRAFIA: Ruber
SONOPLASTIA: Renata Figueiredo
FIGURINO E MAQUIAGEM: Marcelo Nascimento
FOTOS: Paulo Socha

Proibida Caranguejada Durante “Carnaval”


“Você que está se preparando para brincar seu carnaval, deixe os caranguejos fazerem o deles, e não consuma o crustáceo nos períodos de proteção, na próxima semana e no final de semana seguinte à Quarta-Feira de Cinzas (época da famosa festa de Lava-Pratos, no município de São José de Ribamar)”.

Essa é a campanha da Superintendência do Ibama no Maranhão para divulgar o segundo período de defeso do caranguejo-uçá (10 a 15 de fevereiro), que vale para todo o estado visando proteger o período reprodutivo da andada, em que os caranguejos machos e fêmeas saem de suas galerias (tocas) e andam pelo manguezal para acasalamento e liberação dos ovos, fase popularmente conhecida como carnaval.

“O Maranhão é o segundo maior produtor do crustáceo no Brasil com cerca de duas mil toneladas anuais, atrás apenas do Pará conforme dados oficiais do programa de estatística pesqueira (Estatpesca/Ibama). Isso principalmente por ser o estado com a maior extensão de manguezais do país, que são ameaçados por diversos fatores de pressão e degradação, como a expansão urbana desordenada, a pesca predatória e outros. Já há evidências sobre a diminuição da disponibilidade desse recurso pesqueiro nos manguezais em outros estados e migrações de pessoas para explorarem a atividade nos estados onde há mais disponibilidade de manguezais conservados, relatos sobre diminuição de populações do crustáceo em alguns pontos de nosso litoral, portanto esse cuidado extra com o defeso é necessário para evitar o agravamento de um quadro de sobre-exploração”, comenta o analista ambiental Paulo Roberto Araujo Filho.
Denúncias podem ser feitas nos telefones 0800-618080 (Linha Verde do Ibama), (98) 3231-3010 e (98) 3221-2063 (fiscalização).
Fonte: Ibama - Maranhão

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

FAPEMA Convida Pesquisadores

O Convite abaixo é para o lançamento do livro "O Maranhão que vi", escrito por um grupo de correspondentes internacionais que estiveram no estado em agosto de 2008. Mais informações no Núcleo de Difusão Científica da FAPEMA
98- 2109/1433
8844/1433
8844-0101

domingo, 8 de fevereiro de 2009

"O Leitor"


"Decupagem"

Um jovem
a escarlatina

uma mulher solitária

a paixão

sexo e livros.

As aulas de Direito

o Holocausto

um segredo.
O filme é uma adaptação do livro homônimo de Bernhard Schlink e vale sua atenção não só pelas 5 indicações ao Oscar (Melhor Atriz: Kate Winslet; Melhor Roteiro Adaptado: David Hare; Melhor Fotografia: Chris Menges e Roger Deakins; Melhor Diretor: Stephen Daldry e Melhor Filme), mas por ser uma bela e comovente história bem narrada na telona e por nos deixar com aquela "inquietação" por um longo tempo sobre os nossos segredos e as nossas escolhas.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Ano da França no Brasil


O Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís vão trabalhar juntos para a realização do Ano da França no Brasil que tem início oficialmente no dia 21 de abril e se estenderá até 15 de novembro, quando se encerra a exposição “Oui, essa é minha cidade”. Todas as atividades da programação elaborada serão gratuitas e abertas ao público em geral.

A programação com custo orçado em R$ 9,381 milhões destaca 13 projetos, entre eles, a realização do Festival Internacional de Música do Maranhão e a exposição do fotógrafo franco-brasileiro Pierre Verger, que registrou em fotos sua passagem pelo estado em 1948. Os dois projetos são os que consumirão o maior volume de recursos do evento.

No país inteiro mais de 800 projetos serão realizados nesse período voltado para marcar o Ano da França no Brasil. A inserção de São Luís como cidade de destaque na programação se deveu ao esforço da comissão que trabalha para trazer o presidente Nicolas Sarkozy para comemorar o aniversário de 397 anos de fundação de São Luís, única capital fundada pelos franceses.

Como primeiro passo da realização do evento está programado ainda para o mês de fevereiro a inauguração do Espaço França-Brasil, que sediará as atividades da coordenação do evento, em um casarão da Rua da Estrela onde funcionou a galeria Najy Lajos.

Fonte: SECMA

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

“A VERDADEIRA COMÉDIA DA VIDA PRIVADA” no TAA


“A VERDADEIRA COMÉDIA DA VIDA PRIVADA”
Espetáculo de teatro comédia com alunos do curso de interpretação teatral Arthur InCena (SL).

Produção: Josué Costa
Dias 13 (sexta) / 14 (sábado) e 15 (domingo) / Fevereiro às 20h

Ingressos: Preço Único R$ 30,00
(Platéia/Frisa/camarote/Balcão/Galeria)
Meia-entrada para estudantes R$ 15,00

Indicação: LIVRE
Duração: 1h00

*De 16 de Fevereiro a 02 de Março o Teatro Arthur Azevedo estará fechado para manutenção e revisão dos equipamentos técnicos, elétricos e hidráulicos. Por esse motivo não teremos programação no palco. Aguarde nosso retorno em março com uma vasta programação e a atração principal do mês: IV Semana de Teatro do Maranhão.

Show "Folia de Três" reabre Teatro Alcione Nazaré


Após um período fechado para obras o Teatro Alcione Nazaré reabre suas portas em clima de carnaval. Os artistas Emanuel de Jesus, Fernanda Garcia e Serginho Carvalho apresentam nesta sexta (6), às 20h30 o show “Folia de Três”.

No repertório músicas autorais, além de antigas marchinhas e músicas do carnaval do Maranhão. Antes do show, a direção do Teatro Alcione Nazaré, fará uma abertura solene e apresentará ao público a proposta de funcionamento da casa para 2009.

“Folia de Três” tem entrada franca, e os ingressos estarão disponíveis na bilheteria do teatro uma hora antes do evento.

A “Folia de Três” segue fazendo shows nos dias 8, às 21h no Ceprama, dia 22, às 23h, na Cohab e 24, às 23h, no Viva Bairro de Fátima.

Com informações da assessoria de imprensa

Carlinhos Veloz é o convidado do "Clube do Choro Recebe"


Carlinhos Veloz lembrará sucessos acompanhados do Regional Tira-Teima, no Clube do Choro Recebe.
Com uma das mais belas e afinadas vozes do Maranhão, o pernambucano Carlinhos Veloz é o convidado da 69ª. edição do Clube do Choro Recebe. O autor de Ilha bela, indiscutivelmente um clássico da música maranhense, será acompanhado pelo Regional Tira-Teima, mais antigo grupo de choro ludovicense em atividade.
Nascido em Recife, depois de rodar parte do Brasil, Veloz abraçou definitivamente a música quando veio morar às margens do Rio Tocantins, hoje uma de suas maiores fontes de inspiração, em Imperatriz/MA. No Rio de Janeiro gravou seu primeiro disco, que além do clássico já citado, faixa-título, trazia, entre outras, Maracá curumim e Imperador Tocantins. Nessa faixa, o violão era tocado por Paulo Trabulsi, cavaquinhista do Regional Tira-Teima, cuja formação se completa com Zeca do Cavaco, Francisco Solano (violão sete cordas), Serrinha de Almeida (flauta) e Zé Carlos (percussão). A estreia de Veloz foi lançada no Maranhão em 1992.
O cantor lançou ainda Vê Luz, em 1995, cuja música Viagem de novembro (Erasmo Dibell), lhe garantiu o prêmio de melhor intérprete naquele ano. Gravou ainda Baião de dois, projeto dividido com o parceiro César Nascimento, e Vibratons. Atualmente está finalizando seu primeiro DVD, gravado quando das comemorações de seus 15 anos de carreira.
Com o Regional Tira-Teima, Carlinhos Veloz lembrará várias músicas registradas nesses trabalhos. Uma apresentação certamente imperdível.
O Projeto Clube do Choro Recebe tem Apoio Cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line e Rádio Universidade FM e parceria da Solar Consultoria. A entrada custa apenas R$ 6,00.

SERVIÇO
O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 69ª. edição.
Quem: o Regional Tira-Teima recebe o cantor e compositor Carlinhos Veloz.
Quando: dia 7 de fevereiro (sábado), às 19h.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 6,00 (entrada).
Com informação da Assessoria de Comunicação do Clube do Choro.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Já Roubei Livros



Olá,


A Assessoria de Comunicação da Universidade Federal do Maranhão divulgou as novidades da Biblioteca Central para o ano de 2009 e informou que durante esse período de férias acadêmicas, os funcionários da biblioteca estão fazendo a organização do acervo e a inclusão de mais estantes para o recebimento de novos livros. No ano de 2008 foram adquiridos 900 títulos e 4.000 exemplares, com o crescimento calculado em 3% no acervo. Já está prevista, para março de 2009, a compra de mais livros e a renovação na compra de periódicos.

Mas o curioso é fazer uma reflexão sobre os dados do Relatório Anual de Gestão 2007 do Núcleo Integrado de Bibliotecas:
Foi detectada uma perda de 30% dos livros, principalmente de títulos novos. O acervo que representou maior perda foi o de Ciências Sociais, com aproximadamente 12% de livros desaparecidos e a menor perda foi em Religião. Estão cadastrados na Biblioteca Central uma média de 220.000 exemplares.





Confesso! Quando era adolescente roubei os três volumes da coleção Língua, Literatura e Redação, José de Nicola da biblioteca da minha escola. Confessei o roubo num encontro de formação de professores promovido pela Editora Scipione para o autor. O mesmo me presenteou com uma nova coleção autografada, dizendo:

- Pronto, agora você não precisa mais roubar da biblioteca!
Já era professor, autor de livro didático e além de ter frequentado várias bibliotecas, inclusive a Torre do Tombo de Lisboa, tinha contribuido com a formação de vários novos leitores com Leituras Compartilhadas, Roda de Leituras, doações de livros e organização de algumas bibliotecas no interior do Maranhão. Além disso, já tinha levado meus alunos várias vezes para conhecerem o acervo da Biblioteca Central da UFMA e Benedito Leite (recomendo a seção de periódocos, no andar superior, onde você pode ler o jornal do dia de seu nascimento e pesquisar em jornais dos séculos 19 e 20 ).
Hoje tenho uma biblioteca razoável. São livros de História, Educação e principalmente Literatura. Vez ou outra empresto e peço emprestado. Alguns voltam, outros não. De certa forma acho que os livros tem que circular por várias mãos. Ser lidos e passado adiante.
É fato que que parte do patrimônio público está sendo tomado por alguém. Mas pensemos assim, de forma transgressora: o que aconteceu com os livros roubados da Biblioteca Central?
Se ficaram largados num canto qualquer, é crime. Se uma ou mais páginas foram arrancadas e deixados nas estantes, impedindo a leitura, também é crime. Mas se foram lidos, relidos e passado adiante, que Deus perdoe!
Da redenção desse pecado podem surgir novos autores, pesquisadores, editores, professores...
No mais sugiro a compra de vários exemplares de livros para todas as bibliotecas públicas do Brasil. Mas com uma recomendação carimbada nas páginas dos livros:
permitido levar, mas depois de ler passe adiante.
Fonte: ASCOM - UFMA

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Receita Hitita de Cura da Impotência


Olá,

achei esse post interessante da viagem de Marcelo TAS (CQC Rede Bandeirantes) pela Turquia.


"Vejam o que encontrei no precioso Museu de Arqueologia de Istambul: uma pedra com a receita para cura da impotência! Literalmente, no seu receituário de argila, um curandeiro lá do Império Hitita, na antiga Anatólia, hoje Turquia, prescrevia "saliva de touro" para subir pênis desanimado. Isso tudo há 1,3 mil anos antes do nascimento de Cristo!

Foto: Museu de Arqueologia de Istambul (sensacional, deixa o acervo de história antiga do Louvre e do British no chinelo)."

A Importância do Senado



Olá,


Ontem (02) o senador José Sarney (AP) foi eleito em votação secreta pelos 81 senadores que compõem a instituição que existe desde 06 de maio de 1826. Esta será a terceira vez que Sarney ocupa a presidência do Senado. O cargo foi dele entre 1995 e 1997 e entre 2003 e 2005. Em sua nova função, o senador vai administrar um contingente de 7.200 funcionários, entre efetivos e cargos de confiança, e um orçamento anual de 2,7 bilhões de reais.

Senta que lá vem a História!

O Senado legisla, fiscaliza e legitima poder

A primeira missão do Senado foi dar suporte à existência do recém-fundado Estado brasileiro. Assim, a instituição passou a ser procurada sempre que o país precisava de referências sobre os destinos da coisa pública nacional. No século 20, a Casa se destacou na elaboração da ordem legal e constitucional. Finalmente, nos últimos anos, a função fiscalizatória, por meio de CPIs, vem marcando a atuação dos parlamentares no sedimentado bicameralismo brasileiro (Senado e Câmara Federal).

Sempre que o país vivia momentos de incerteza ou caos, se olhava para o Senado como referência de última instância, para saber o que deveria ser feito com a coisa pública. A legitimação do poder político se fez na maioria do tempo em consultas ao Parlamento .

CPIs são símbolo do aumento da fiscalização do Congresso
O Legislativo é o responsável pela criação de um aparato jurídico que é o pano de fundo do funcionamento das instituições políticas e até da atuação da sociedade civil. Pode-se dizer que os marcos maiores, a Constituição, foram determinados no Congresso .Quanto às CPIs, a democracia amadureceu depois de o país ter passado pelo impeachment de um presidente e pela cassação de parlamentares. Em outra atividade fiscalizadora, o Congresso tenta constantemente aperfeiçoar o processo de elaboração do Orçamento.

Senado tem papel singular e insubstituível
Existem análises que apontam que o unicameralismo é a tendência a ser adotada por legislativos em todo o mundo. Argumenta-se que uma só casa legislativa simplificaria a elaboração das leis e que, ao mesmo tempo, por mecanismos já existentes em alguns países, poderia garantir a ponderação de casa revisora, geralmente desempenhada pelo Senado.
Essa tendência, porém, não se verifica na prática. A maioria dos países adota o sistema bicameral. No início da década de 50, apenas dois países – Nova Zelândia e Dinamarca – eliminaram o Senado.Não há sinal de que a instituição – mais antiga que a Câmara dos Deputados na história da Humanidade – tenha seu papel reduzido. A própria história se encarrega de demonstrar a função da instituição nos Estados nacionais antigos e modernos, representando equilíbrio, estabilidade e unidade, tão importantes para um país como o Brasil, jovem, de dimensões continentais e grandes diversidades étnicas e regionais.

Prerrogativas próprias especializam senadores
Apesar de o Brasil ser considerado um “bicameralismo perfeito”, como conceituam os cientistas políticos, o Senado tem diferenças fundamentais em relação à Câmara, como prerrogativas constitucionais que cabem somente aos senadores. Segundo o historiador Marcos Magalhães, a diferença de atribuições legislativas leva a uma tendência de especialização. A Constituição estabelece, por exemplo, que o Senado é responsável por fiscalizar o endividamento dos entes públicos e por dar a última palavra sobre a indicação de diplomatas, magistrados e demais autoridades.
Outra diferença vem da maior dificuldade de eleição de um senador, o que leva à Casa um corpo diferenciado de políticos, composto por ex-governadores e até ex-presidentes. Com mandatos mais longos, os senadores têm condições de manter uma perspectiva de longo prazo.

Como já disse antes, de olho neles!

Se você chegou até aqui ainda vai ter fôlego para o imperdível o post de Marcelo Tas recém-chegado das férias na Capadócia sobre a posse de Sarney na presidência do Senado.
http://marcelotas.blog.uol.com.br/arch2009-02-01_2009-02-15.html#2009_02-02_00_32_34-5886357-0

Fonte: O GLOBO, Veja-online, Agência Senado