quinta-feira, 31 de maio de 2012

Festejo de Santo Antônio em Barbalha - CE

Festa do Pau da Bandeira
A edição da Festa este ano lembra ainda o centenário de Luiz Gonzaga. Mais de 350 mil pessoas são esperadas para a celebração que encerra dia 13 em grande romaria
 Centenas de homens são necessários para a retirada e transporte do imenso mastro de madeira, onde é hasteada a bandeira de Santo Antônio, em frente à Igreja Matriz, em Barbalha (a 539 km de Fortaleza). É o início de uma das festas populares mais tradicionais do País. A partir deste domingo, dia 3 de junho, são esperadas mais de 350 mil pessoas no município do Cariri cearense para participar das homenagens ao padroeiro da Cidade, Santo Antônio.
Serão onze dias de festejos, de 3 a 13 de junho, que incluem cerimônias religiosas, brincadeiras com a fama casamenteira do santo, apresentações de grupos folclóricos, quermesses, mais de 60 shows no Parque da Cidade e no Centro, além da tradicional romaria de encerramento.
ABERTURA - Antes mesmo do início oficial do festejo, no sábado, dia 2, tem a Noite das Solteironas, uma grande brincadeira com a fama casamenteira de Santo Antônio organizada na Rua da Matriz. Segundo conta-se na região, a mulher solteira que tocar no Pau da Bandeira (ou beber do chá da casca, para os casos mais complicados) consegue um marido em no máximo um ano. E para animar a ala feminina, a partir das 20h30, tem shows com Os Pelejas, Forró Tapera, Val Andrade e Fábio Carneirinho.
 O domingo, dia 03, começa cedo, com a missa dominical às 7 horas da manhã na Igreja Matriz. Antes ainda, os carregadores do Pau da Bandeira já se dirigem para o Sítio São Joaquim, onde o imenso tronco de Jacarandá de 23 metros de comprimento e pesando mais de duas toneladas aguarda desde o dia 17 de maio, quando foi cortada a árvore. Nos ombros, o Pau é carregado por seis quilômetros até a Igreja Matriz, ritual em que os carregadores provam sua devoção ao santo. Em frente à Igreja, por volta das 8 horas, começa a Alvorada Festiva, mobilizando grupos folclóricos da região em uma bela apresentação pelas ruas de Barbalha. A festa se estende por todo o domingo


PROGRAMAÇÃO


 PRIMEIRO DIA -  As apresentações musicais ocorrerão em quatro palcos armados em dois pólos: no Centro de Barbalha e outro no Parque da Cidade. Nos dois locais, as quermesses anunciam à chegada dos festejos juninos, com barraquinhas de comidas e bebidas típicas, bandeirinhas e balões.
 À tarde, a partir das 15 horas, os palcos do Centro recebem o melhor do forró com Ítalo e Renno, Maurício Jorge e Fernandinho e banda, no Palco Largo do Rosário; e, no mesmo horário, Flávio Leandro, Leonardo de Luna e Maninho e banda, no Palco Marco Zero.
 Eles preparam os ânimos para o momento mais esperado da festa: o levantamento do Pau da Bandeira, que acontece a partir das 18 horas, em frente à Igreja Matriz, quando é declarada oficialmente aberta a festa.
 À noite, o esquenta é com o forró pé de serra de Chico Pessoa, a partir das 22 horas, no Parque da Cidade. E depois, ninguém menos que a diva da música nordestina, Elba Ramalho, para coroar a festa. O grupo Cheiro Nordestino encerra essa noite. Na entrada do Parque da Cidade, os organizadores solicitam (01) um quilo de alimento não-perecível, para doação nas instituições da cidade de Barbalha.
 DURANTE A SEMANA - Após um breve descanso, na terça-feira, dia 05, tem homenagem ao rei do baião Luiz Gonzaga, que este ano completaria 100 anos de nascido. Natural de Exu (há 82 km de Barbalha), o mestre Gonzagão foi um dos grandes divulgadores da Festa do Pau da Bandeira. Em seu repertório, ele cantava “Festa de Santo Antônio”, música de autoria de Alcymar Monteiro e João Paulo, dedicada ao festejo de Barbalha.
 A partir das 22 horas, os imortais sucessos de Luiz Gonzaga serão entoados no Parque da Cidade por Jorge Altino, Nando Cordel e pelo sanfoneiro Joquinha Gonzaga, sobrinho de Luiz.
 Quarta-feira, dia 06, é a noite do Forró das Antigas, com shows das bandas Mastruz com Leite e Cavalo de Pau no Parque da Cidade, a partir das 22h. No mesmo horário e local, na quinta-feira, dia 07Jerry Adriani, Zé Orlando e Bartô Galeno prometem embalar os corações apaixonados e esquentar o clima para o sábado, dia 09, quando as bandas Forró Real, Desejo de Menina e Fivela Bronzeada vão colocar todo mundo para dançar.
 E para as crianças uma surpresa: domingo, dia 10, a partir das 18 horas, no Parque da Cidade, tem a dupla de palhaços Patati & Patatá!  Além deles, animam este começo de noite os palhaços Tiago e Risadinha.
 No Paque da Cidade, segunda-feira, dia 11, a programação noturna tem sequência com shows de Léo Magalhães e artistas da região, a partir das 22 horas.  Dia 12, terça, também 22 horas, um dos shows mais esperados: Fábio Júnior apresenta os maiores sucessos de sua carreira. Além dele, a noite conta com o grupo Os Águias.
 O encerramento dos festejos será marcado pela Procissão de Santo Antônio e, à noite, pelo show da banda de música cristã Anjo de Resgate, a parir das 22 horas, no Parque da Cidade.
FESTAS JUNINAS - Afirmando sua tradição junina, após o encerramento da Festa do Pau da Bandeira, nos dias 14, 15 e 16 de junho, Barbalha promove o Festival de Quadrilhas Juninas, com participação de 13 quadrilhas da Cidade, entre grupos adultos e mirins. No ano passado, as primeiras colocadas foram as quadrilhas Verdes Canaviais (adulta) e Nós da Terra (mirim).
 HISTÓRICO - Realizada oficialmente há 84 anos, a Festa do Pau da Bandeira está em processo de tombamento como patrimônio imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) - que já concluiu um relatório a favor.
 A festa foi oficializada em 1928 em homenagem ao padroeiro da Cidade, Santo Antônio. Segundo historiadores, a devoção pelo santo é anterior à fundação de Barbalha e remete a mais de 300 anos atrás, mantida pelos moradores da região.
 Nos anos 1970, apostando na importância cultural do festejo, o então prefeito Fabiano Livônio Sampaio convidou grupos folclóricos, brincantes de reisados e outros folguedos tradicionais e artistas a participarem da festa, transformo-a em uma das mais importantes manifestações populares da região.
 Segundo a tradição, no primeiro dia da Festa de Santo Antônio, às 5 horas da manhã, os devotos vão a um sítio localizado no pé da serra, há 6 km de distância da Igreja Matriz, de onde acompanhados por uma multidão carregam o tronco nos ombros para ser erguido em frente à igreja com a bandeira de Santo Antônio. Os festejos duram duas semanas e são encerrados com procissão em homenagem ao santo.
SERVIÇO:
Festa do Pau da Bandeira de Santo Antonio de Barbalha – De 03 a 13 de junho na cidade de Barbalha (Região do Cariri – Ceará). Mais informações: (88) 3532 5144 / (88) 3532 1708.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Empresas aéreas anunciam vendas antecipadas para agosto e setembro de 2012


O site Melhores Destinos publicou hoje no início da tarde a notícia de venda de passagens aéreas antecipadas de várias companhias para os meses de agosto e setembro de 2012. Uma lista formatada pela manhã indicava os trechos com preços mais em conta. Selecionamos destinos com saída ou chegada nos aeroportos de São Luís e Imperatriz. 

Aracaju – Imperatriz R$ 344 (ida+volta) Tam
Belém – Imperatriz R$ 398 (ida+volta) Tam
Belém – São Luis R$ 153 (ida+volta) Gol
Belo Horizonte – Imperatriz R$ 498 (ida+volta) Tam
Belo Horizonte – São Luis R$ 153 (ida+volta) Gol
Brasília – São Luis R$ 298 (ida+volta) Gol
Florianópolis – São Luis R$ 398 (ida+volta) Tam
Fortaleza – Imperatriz R$ 498 (ida+volta) Gol
Fortaleza – São Luis R$ 262 (ida+volta) Gol
Goiânia – Imperatriz R$ 475 (ida+volta) Gol
Goiânia – São Luis R$ 398 (ida+volta) Tam
João Pessoa – São Luis R$ 434 (ida+volta) Gol
Macapá – São Luis R$ 498 (ida+volta) Gol
Maceió – São Luis R$ 496 (ida+volta) Tam
Natal – São Luis R$ 471 (ida+volta) Gol
Navegantes – São Luis R$ 488 (ida+volta) Tam
Recife – São Luis R$ 198 (ida+volta) Tam
Rio de Janeiro – São Luis R$ 198 (ida+volta) Gol
São Paulo – São Luis R$ 298 (ida+volta) Gol
São Luis – Belém R$ 153 (ida+volta) Gol
São Luis – Belo Horizonte R$ 153 (ida+volta) Gol
São Luis – Brasília R$ 298 (ida+volta) Gol
São Luis – Florianópolis R$ 398 (ida+volta) Tam
São Luis – Fortaleza R$ 262 (ida+volta) Gol
São Luis – Goiânia R$ 398 (ida+volta) Gol
São Luis – Imperatriz R$ 195 (ida+volta) Gol
São Luis – João Pessoa R$ 398 (ida+volta) Gol
São Luis – Maceió R$ 496 (ida+volta) Tam
São Luis – Natal R$ 471 (ida+volta) Gol
São Luis – Navegantes R$ 488 (ida+volta) Tam
São Luis – Porto Alegre R$ 298 (ida+volta) Gol
São Luis – Recife R$ 198 (ida+volta) Tam
São Luis – Rio de Janeiro R$ 198 (ida+volta) Gol
São Luis – São Paulo R$ 298 (ida+volta) Gol
São Luis – Salvador R$ 398 (ida+volta) Gol
São Luis – Santarém R$ 398 (ida+volta) Tam
São Luis – Teresina R$ 144 (ida+volta) Azul
São Luis – Vitória R$ 298 (ida+volta) Gol
Salvador – Imperatriz R$ 439 (ida+volta) Gol
Salvador – São Luis R$ 398 (ida+volta) Gol
Santarém – São Luis R$ 398 (ida+volta) Tam
Teresina – São Luis R$ 144 (ida+volta) Azul
Vitória – Imperatriz R$ 422 (ida+volta) Tam
Vitória – São Luis R$ 298 (ida+volta) Gol

São Paulo pode ser aeroporto de Congonhas, Guarulhos ou Campinas.

Conheça a História da Imigração em São Paulo


Você já conhece o Museu da Imigração em São Paulo? Neste post você terá vários motivos para aproveitar melhor a folga na próxima viagem de trabalho a São Paulo. O metrô te deixa muito perto das compras no Brás e no museu. Além da exposição permanente de fotos, documentos e objetos da antiga hospedaria dos imigrantes que chegavam ao Brasil e depois, dos nordestinos que chegavam a São Paulo, você poderá pesquisar por ancestrais que podem ter passado pelo lugar. Além disso, é possível fazer um rápido, rápido mesmo (dura poucos minutinhos) passeio na antiga Maria Fumaça que levava os imigrantes da capital para o interior. Este final de semana ainda rola a 17a Festa do Imigrante (leia abaixo). Enquanto isso, você pode fazer uma visita virtual a exposição "Cosmopaulistanos: as pessoas, os caminhos, a cidade", que aliás é uma ótima dica para o Museu da imagem e do Som de São Luís, e ainda conferir algumas fotos da nossa passada por lá em 2002.

17ª Festa do Imigrante - SP
Nos dias 27 de maio e 03 de junho de 2012, São Paulo vai celebrar a cultura e as tradições das diferentes comunidades imigrantes que representam a mistura de influências e a diversidade do estado. A 17ª Festa do Imigrante - realização da Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Museu da Imigração do Estado de São Paulo -, acontece das 10h às 16h, no complexo que abrigava a antiga Hospedaria de Imigrantes, no bairro da Mooca.
A tradicional Festa do Imigrante celebra há 16 anos as manifestações culturais, artísticas e gastronômicas de diversas nações que povoam o Estado de São Paulo, além de resgatar a história dos mais de 2,5 milhões de imigrantes que passaram pela antiga Hospedaria dos Imigrantes desde final do século XIX.



Dias: 27 de maio e 03 de junho 
Horário: 10h às 16h 
Local: Arsenal da Esperança – complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes
Endereço: Rua Dr. Almeida Lima, 900, Mooca, São Paulo/SP 
Ingresso: R$ 6,00. Estudantes e pessoas com mais de 60 anos pagam 
meia-entrada
INFORMAÇÕES: (11) 3311-7700 / 3311-8075 / 4114-1800 /museudaimigracao@museudaimigracao.org.br
Cosmopaulistanos

Museu da Imigração mapeia “cosmopaulistanos” em exposição virtual.
Mostra virtual interativa é inspirada no livro Cosmópolis, de Guilherme de Almeida, que estreou dia 29 de maio

A partir do dia 29 de maio, o Museu da Imigração, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, apresenta a exposição virtual interativa “Cosmopaulistanos: as pessoas, os caminhos, a cidade”. O trabalho é inspirado na obra “Cosmópolis”, de Guilherme de Almeida, publicada em 1962, que reúne uma série de oito reportagens sobre os bairros formados por imigrantes na cidade de São Paulo. Meio século depois, um novo olhar sobre tema poder ser conferido no endereço www.museudaimigracao.org.br/cosmopaulistano.

Mais do que um compilado de histórias e personagens, a mostra é um convite para que os visitantes ajudem a construir uma espécie de “atualização” da obra de Almeida. Longe da realidade da época de seus escritos – no final da década de 1920 –, em que determinados bairros eram redutos de comunidades imigrantes específicas, a exposição se baseia justamente na miscigenação atual das regiões paulistanas.

Ao acessar a mostra virtual, um mapa da cidade se apresenta subdividido nos 96 bairros distritais da capital paulista. É clicando sobre cada um deles que o visitante poderá compartilhar suas histórias, trajetos e memórias por meio do upload de fotos, vídeos e textos, deixando sua experiência registrada em um imenso mosaico de rostos e lugares.  

“Assim como Guilherme de Almeida, que em Cosmópolis se deixa maravilhar pelo nascimento da São Paulo que conhecemos, convidamos a todos a contar suas visões apaixonadas pela cidade, pelos nascimentos, renascimentos, e pela diversidade cultural e paisagística”, explica Marília Bonas, Diretora Técnica do Museu da Imigração.

A exposição virtual dá continuidade à programação preparada pela Secretaria de Estado da Cultura no contexto da Semana Nacional dos Museus, que aconteceu de 14 a 20 de maio com o tema “Cosmópolis: em São Paulo cabe o Mundo”, envolvendo os 18 museus mantidos pelo Governo de São Paulo na Capital e no interior. 

Museu da Imigração
O Museu da Imigração do Estado de São Paulo está em processo de restauro das edificações e implantação de nova exposição de longa duração, com reabertura ao público prevista para o segundo semestre de 2012.


Em seu novo projeto museológico, o Museu da Imigração pretende valorizar ainda mais o encontro das múltiplas histórias e origens e propor ao público o contato com as lembranças daquelas pessoas que vieram de terras distantes, suas condições de viagem, adaptação aos novos trabalhos e contribuição para a formação do que hoje chamamos de identidade paulista.

A história da migração humana não deve ser encarada como uma questão relacionada exclusivamente ao passado; há a necessidade de tratar sobre deslocamentos mais recentes. O novo Museu da Imigração pretende fomentar o diálogo sobre as migrações como um fenômeno contemporâneo, que não se encerra com o fechamento das atividades da Hospedaria, reconhecendo a recepção dos milhões de migrantes atuais e a repercussão deste deslocamento para o estado de São Paulo.

Hospedaria de Imigrantes
Ao desembarcar no Brasil, os imigrantes trouxeram muito mais do que o anseio de refazer suas vidas trabalhando nas lavouras de café e no início da indústria paulista. Nos séculos XIX e XX, os representantes de mais de 70 nacionalidades e etnias chegaram com o sonho de “fazer a América” e acabaram por contribuir expressivamente na história do país e na cultura brasileira. Deles, o Brasil herdou sobrenomes, sotaques, costumes, comidas e vestimentas.

Inaugurada em 1887, a Hospedaria de Imigrantes se tornou a principal hospedagem destinada a abrigar os imigrantes recém-chegados. Foi no antigo prédio da Hospedaria – hoje sede do Museu da Imigração – que os anseios, angústias e expectativas de mais de 2,5 milhões de pessoas se cruzaram entre 1987 e 1978. Ao longo de seus 91 anos, a Hospedaria acolheu e encaminhou os imigrantes aos novos empregos. Para isso, o prédio contava com a Agência Oficial de Colonização e Trabalho. Além de alojamento, disponibilizava farmácia, laboratório, hospital, correios, lavanderia, cozinha e setores de assistência médica e odontológica.

Especialmente na década de 1930, a Hospedaria de Imigrantes passou a acolher também trabalhadores migrantes de outros estados brasileiros. Na década de 1970, perdeu sua função original e em 1978 recebeu pela última vez um grupo de imigrantes coreanos, pouco antes de encerrar suas atividades.

Fonte: Assessoria de imprensa - SEC

Fincamos Bandeira

Em 2002 fiz uma visita de uma tarde inteira ao Museu da Imigração, olha as fotos:

Acervo de objetos do escritório e da enfermaria da antiga hospedaria

Antigas charretes e automóveis

Maria Fumaça, também foi usada nas cenas de Terra Nostra 

Objetos variados que compunham a mobília da hospedaria

Maria fumaça abastecida a lenha

Vagão de primeira classe todo reformado

Painéis como este te fazem voltar para o início do séc. XX

reconstituição de casa dos imigrantes nas fazendas de café 
# Se estiver por perto

Aeroporto de Fortaleza sem energia elétrica



Notícia publicada no portal G1 Ceará que o aeroporto de Fortaleza segue sem energia elétrica nesta quarta-feira e a recomendação é que os passageiros cheguem com pelo menos duas horas de antecedência. O problema de infra-estrutura dos aeroportos no Brasil é grave. Leia.
do G1 CE, com informações da TV Verdes Mares

Falta de energia começou por volta de 21h de segunda-feira, dizem funcionários (Foto: TV Verdes Mares/ Reprodução)Falta de energia começou por volta de 21h de
segunda-feira, dizem funcionários
(Foto: TV Verdes Mares/ Reprodução)
O aeroporto internacional Pinto Martins, em Fortaleza, segue parcialmente sem energia elétrica na manhã desta quarta-feira (30). Segundo o plantão da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), os três geradores continuam funcionando e atendendo apenas os serviços considerados essenciais, como o check-in e embarque e desembarque de passageiros.

A Infraero informou que o quadro elétricoestava previsto para ser totalmente normalizado na noite de terça-feira, mas, nesta quarta-feira, algumas estruturas, como escadas rolantes e o ar-condicionado continuam sem funcionar. Não há previsão para a energia ser restabelecida.

Transtornos - 
O órgão explicou que a falta de energia ocorreu devido a um problema em um fio subterrâneo. Mesmo com o transtorno, não há confirmações de alteração ou cancelamento de voos. O plantão da Infraero recomenda que os passageiros cheguem com pelo menos duas horas de antecedência para o embarque, pois parte do serviço do atendimento está sendo feito manualmente. Segundo funcionários, a queda de energia ocorreu ainda por volta das 21h de segunda-feira (28). Das 13 lojas existentes na praça de alimentação do aeroporto, seis ficaram no escuro e sem realizar atendimentos. Nos balcões de atendimento das companhias aéreas, duas ficaram sem energia.
A queda de energia fez com que funcionários e usuários enfrentassem transtornos. "Desde ontem, às 21h, tem sido um transtorno grande. Além de não poder operar nossa lotação de veículos e as máquinas de energia, também tem os banheiros, que funcionam com sensores, ocasionando a falta de água nos toiletes", afirma o agente de lotação, Joaquim Martins. “É inadmissível que um aeroporto desse tenha um problema desse porte, tão grave, que é com as escadas paradas”, reclama a dona de casa, Elze Teixeira.

O Futuro do Museu da Cachaça Ypióca

Fotos: Marcus Saldanha

A Ypióca tradicional marca de cachaça brasileira, atual líder de vendas no mercado premium mundial foi vendida para os ingleses fabricantes do whisky Jhonnie Walker e vodka Smirnoff (Grupo de bebidas Diageo)

A Ypióca é de origem cearense e tem tradição no mercado com um produto que é feito desde 1846 em fábricas espalhadas por várias partes do Brasil. Fala-se num negócio na ordem de 900 milhões de reais, o que seria um valor razoável, uma vez que o lucro da Ypióca ano passado teria sido de 144 milhões de reais.

Mas o que chama a atenção na repercussão do negócio é a omissão de notícias acerca do Museu da Cachaça mantido pelo grupo nas imediações de Maranguape, no Ceará. O museu tem acervo permanente bem estruturado com peças originais do engenho artesanal, da evolução do parque fabril ao longo do século XX e uma curiosa mostra da evolução dos rótulos da marca. Fora isso, é possível visitar o maior tonel de cachaça do mundo, certificado pelo Guiness e degustar a boa e velha cachaça.

Porém, o ponto do alto do museu é a memória da família Telles (imigrantes portugueses) que fundaram a Ypióca. São documentos, mapas, fotos, filmes e objetos referentes a evolução da fábrica. O primoroso projeto de montagem do museu contou com profissionais de reconhecimento nacional. Uma vez mudando de mãos, como ficaria o complexo turístico e sobretudo o museu hoje administrado pela marca? A questão foi considerada no acordo? Embora em área privada, o acervo pertence ao patrimônio histórico do nordeste e refere-se a toda uma história e tradição do brasileiro ligado a produção de aguardente.

Fincamos bandeira

Em 2009 estivemos no Y-Park (Complexo Turístico da Ypióca) aos pés da serra de Maranguape, no Ceará e apenas 30 km de Fortaleza. Além do Museu da Cachaça, o parque incluiu área com passeio de charretes e jardineira, Campo de aventura com a maior tiroleza do nordeste (260 m), arvorismo, trilhas, muro de escalada, caiaque e restaurante. Veja fotos:
Museu da Cachaça

Moenda de engenho e carro de boi - artefatos de engenho tradicional

Maior tonel de madeira do mundo (374 mil litros) Guiness

área de lazer do complexo turístico da Ypióca
# Se estiver por perto

terça-feira, 29 de maio de 2012

Fusão da Trip e Azul

A notícia da semana do mercado de aviação nacional foi a fusão das empresas aéreas Trip e Azul que em breve se chamará de AZUL TRIP SA.

A Revista Veja convidou especialistas para analisar o caso e segundo a matéria a notícia não é nenhuma surpresa, já que ambas estavam operando num nicho muito restrito para sobreviver a concorrência. Para ela, a ação deve consolidar a Azul no mercado nacional, porém o x da questão será com a complementaridade dos serviços de ambas e diminuição dos custos, quem vai ganhar os passageiros da demanda internacional ou de rotas não cobertas pelas empresas?

Já a Folha.com buscou tranquilizar os passageiros quanto ao risco de diminuição da concorrência no mercado decorrente na fusão das empresas que passam a controlar 15% do mercado nacional de aviação. A linha de atuação da Azul sempre foi de implementar linhas a destinos regionais  Lembrou ainda que ambas serão a segunda maior operadora de jatos nacionais da EMBRAER.

E o consumidor poderá levar vantagens nessa manobra econômica? Lembrando que a fusão  ainda depende da aprovação da Agência Nacional de aviação Civil (ANAC) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Em São Luís a Azul e Trip atendem a uma demanda que inclui destinos de algumas capitais e cidades de médio ou pequeno porte com atividade econômica específica, como é o caso de Carajás e Marabá (área de atuação da vale do Rio Doce).

Do ponto de vista turístico esperamos que a fusão viabilize e consolide rotas  na Amazônia e no interior brasileiro de onde pode-se aproveitar destinos menos badalados, a preços razoáveis e com conforto.

Festival de Humor na terra de Chico Anysio



Muito humor e riso vão marcar o IV Festival Nacional de Humor, que acontecerá de 31 de maio a 02 de junho em Maranguape, Ceará.
Maranguape, cidade natal do cearense Chico Anysio, a 30Km da capital Fortaleza, será palco de uma homenagem com toda a graça que o humorista merece. Na noite de abertura do IV Festival Nacional de Humor, nesta quinta-feira, 31 de maio, será apresentado em primeira mão um espetáculo da Escolinha do Prof. Raimundo, criado especialmente para esta ocasião. Dois dos filhos de Chico Anysio, André Lucas e Nizo Neto, sobem ao palco ao lado de outros atores que também fizeram parte do programa humorístico mais famoso da televisão brasileira.

A Escolinha terá em Maranguape André Lucas como Professor Raimundo e, na “sala de aula”, Nizo Neto (Ptolomeu), Eliezer Motta (Batista), Ataíde Arcoverde (Sivi), David Pinheiro (Armando Volta), Maurício Manfrine (Paulinho Gogó) e os cearenses Karla Karenina (Meirinha) e João Netto (Zé Modesto). A apresentação no palco do festival, montado na Praça Capistrano de Abreu, a principal da cidade.

Quem também estará no dia 31 em Maranguape, para participar da solenidade de abertura oficial do IV Festival Nacional de Humor em Maranguape é Malga Di Paula, viúva de Chico Anysio, que esteve pela última vez na cidade no dia 12 de abril, levando parte das cinzas do humorista. O dia 12 de abril é a data de nascimento de Chico Anysio e também o Dia do Humorista no Estado do Ceará e no município de Maranguape.

O FESTIVAL

Criado em 2009 em homenagem a Chico Anysio, o Festival Nacional de Humor recebeu o humorista por ocasião da segunda edição, em 2010, quando foi homenageado e abriu uma exposição permanente no Museu da Cidade. Foi a última vez que o humorista esteve na cidade onde nasceu.

Com espetáculos, oficinas, exibição de filmes e cortejo, o Festival acontecerá ao longo de três dias (31 de maio a 02 de junho) com toda a programação gratuita, em diversos espaços da cidade, tendo como palco principal a Praça Capistrano de Abreu. 



MAIS ATRAÇÕES CONVIDADAS - Além da Escolinha do Prof. Raimundo, o IV Festival Nacional de Humor terá como atrações artistas cearenses já consagrados na cena humorística. São eles, Zé Modesto, personagem de João Netto, ex-aluno da Escolinha do Professor Raimundo; Tirullipa, personagem de Everson Silva, filho de Tiririca; o grupo Quarteto em Rir, formado por Mixirico, Oscabrito, Ruanito e Papudim, apresenta “BAR ZIL, a comédia”, vencedor do quadro Quem Chega Lá, do programa Domingão do Faustão; Luana do Crato, personagem criada em 1993 pelo humorista Luciano Lopes; e Rapadura, criação de José Alexandre da Silva, vencedor da Mostra Competitiva do Festival Nacional de Humor em 2011, também premiado nas edições anteriores como segundo colocado em 2009 e terceiro em 2010.

MOSTRA DE HUMOR - Uma das novidades desta edição é a Mostra de Humor, voltada para novos humoristas, em substituição à Mostra Competitiva realizada até o festival passado. A nova mostra terá quatro convidados por noite, com apresentações de 20 minutos em média para cada atração.

SERVIÇO
IV Festival Nacional de Humor – De 31 de maio a 02 de junho em Maranguape/CE. Informações: Fundação Viva Maranguape de Turismo, Esporte e Cultura – FITEC. Tel: (85)3369.9188. GRÁTIS.

Festival de Inverno de Pedro II

Que tal curtir shows de Arnaldo Antunes, Lenine e Milton Nascimento de graça? Arruma a mochila e se prepara para o festival de Inverno de Pedro II no Piauí. A programação começa no dia 07 e rola até 10 de junho. Não, você não leu errado - é festival de inverno no Piauí!

A Cidade - Pedro II fica a 200 km de Teresina, tem arquitetura colonial e foi ocupada principalmente por portugueses imigrantes no séc. XIX. Não chega a ser uma Suíça Brasileira como divulgam por aí e nem é inverno também não, apenas uma temperatura noturna agradável na casa dos 21 graus por conta da serra.

A cidade é famosa pela exploração de Opala o que atrai negociantes de várias partes do mundo - não é difícil encontrar casa de câmbio por lá. Além disso, são várias as opções de passeios diurnos: trilhas, sítio arqueológico, centro histórico, lojas de artesanato e as minas de opala.

Clique aqui para dicas de como chegar, hospedagem e comida na cidade e arredores.

O Festival - Mas o forte mesmo é manter-se bem disposto para os shows durante a noite. Criado em 2004 o festival vem se consolidando no cenário musical.  Este ano a programação está fervendo, artistas renomados do cenário nacional e a presença maranhense de Fernando de Carvalho abrindo show de Milton Nascimento no dia 09. Confere a programação completa do evento no site.

Boa ocasião para os maranhenses organizarem caravanas partindo da capital numa viagem tranquila de no máximo 9 horas e curtir um final de semana prolongado. E não, você não precisa levar roupa de frio! No máximo uma camisa de manga comprida. Casaco, só para tirar onda!

Roteiros Turísticos

Trilha Dos Mirantes:
Santa, Gritador E Curva Do Cotovelo
(passeio Ecológico)

Mangabeira e Cachoeira de Salto Liso
(passeio Ecológico Com Banho Em Águas Frias E Cristalinas E Vários Atrativos Da Localidade).

Minas de Opala e Museu da Roça:
(história Da Opala E De Famílias Tradicionais De Pedro II)

City Tour:
Lojas de Artesanato e Joalherias de Opala
Inclui Conhecer As Lojas E Pontos-de-venda Do Nosso Artesanato E A Arte De Transformar O Minério Mais Raro Do Mundo Em Lindas Joias; Parque Pirapora; Igreja Nossa Senhora Da Conceição.

Centro Histórico e Artistas Plásticos
Visita Aos Casarões Do Final Do Século Xix E Lindos Trabalhos Em Telas Com Pinturas Em Estilo Singular, Visita A Oficina De Artesanato Sebrae/pi.

Sítio Buritizinho
Uma Verdadeira Vivencia Na Roça, Com Moagem De Cana E Farinhada Ao Vivo.

Cachoeira Da Arara (urubu Rei)
Um Local Com A Biodiversidade Ainda Intacta E Linda Cascata Com Águas Frias E Cristalinas.

Sítios Arqueológicos:
Buriti Grande Dos Aquiles
Uma Visita Aos Vestígios Do Berço Da Humanidade.

Sítios Arqueológicos De Torre:
Uma Visita Aos Vestígios Do Berço Da Humanidade E Banhos De Cachoeiras.

Sitios Arqueológicos Do Morro Do Morcego Em Olho Dágua Do Meio
Uma Visita Aos Vestígios Do Berço Da Humanidade.

Buriti Dos Cavalos
Inscrições Rupestres - Formações Rochosas
E Piscina Natural.
Eco Escola Thomas Aquents
(levar 1kg De Alimento)


Fincamos Bandeira


Em 2010 estive na VII edição do festival e na ocasião rolaram shows de Fernanda Takai, Zeca Baleiro, Maria Rita, Armandinho e o guitarrista norte americano Stanley Jordan. Leia mais:


Chegando na cidade


Um passeio pelo centro de Pedro II

Fernanda Takai recebe uma rosa

Zeca Baleiro tocou Raul

O duelo de guitarras de Stanley Jordan e Armandinho

Sobre o que não sabia de Maria Rita


sábado, 5 de maio de 2012

Júri Popular do 35 Guarnicê

Festival de Cinema
UFMA abre inscrições para júri popular do 35º Guarnicê


A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (Dac) da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), abriu inscrições para o credenciamento de estudantes, trabalhadores e cinéfilos que querem integrar o Júri Popular do 35º Festival Guarnicê de Cinema. As inscrições podem ser feitas até 08 de junho deste ano, no site: www.cultura.ufma.br. Os credenciados terão acesso gratuito às sessões de filmes e direito a voto e certificado de participação.


O 35º Festival Guarnicê de Cinema será realizado no período de 10 a 16 de junho, no Centro Histórico de São Luís. O Guarnicê é uma promoção da UFMA, com apoio de instituições parceiras, colaboradores e apoiadores. Após o cadastro no site, os credenciados deverão se dirigir às sessões do Festival e identificar-se junto às recepcionistas para obter a ficha de votação. O Festival estimula a formação de plateias, promove a produção audiovisual nacional e incentiva os novos realizadores.


O diretor do DAC, Prof. Dr. Alberto Pedrosa Dantas Filhos, informa que, com a ficha, as pessoas credenciadas “confirmarão sua participação para obtenção do Certificado e também exercerão o direito de escolher os melhores filmes do Festival Guarnicê de Cinema. É importante verificar a classificação indicativa de idade”. Ele observa que “os credenciados votarão na obra que mais gostar e depositarão em seguida o voto na urna que estará disponível no local”, disse Dantas.


Para ter direito a Declaração ou Certificado na modalidade Júri Popular, fornecido pela UFMA será necessário, para Declaração, o comparecimento a duas sessões competitivas. Já para Certificado a Carga Horária deverá ser de pelo menos quatro sessões competitivas (carga horária 08 horas). Cada sessão aumentará a carga horária total em duas horas. A declaração ou o Certificado será enviado por email em arquivo digital. Estudantes, avise os colegas da sua escola e partcipem.

Sermão Antoniológico do velho Moleque

Artistas prestarão homenagem ao Mestre Antonio Vieira
4ª Edição do Sermão Antoniológico do Velho Moleque será dia 9 de maio, no Odylo



A Associação dos Amigos do Mestre Antônio Vieira, em parceria com o Centro de Capoeiragem Matroá e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (DAC/Proex), promoverão a 4ª edição do Sermão Antoniológico do Velho Moleque - em homenagem ao cantor e compositor Antonio Vieira - no próximo dia 9 de maio, às 18h, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho.
A data marca o aniversário do Mestre Antonio Vieira, que faleceu no dia 07 de abril de 2009. A diretora da Associação Matroá, Nivia Saraiva dos Santos, informa que a 4ª Edição do Sermão Antoniológico “apresentará em vários formatos e linguagens artísticas uma releitura da rica e diversificada discografia de Vieira, interpretada e inspiradora aos novos trabalhos de artistas plásticos, músicos e poetas maranhenses”.


Artes, música e literatura - Integrante da equipe de organização do evento, Lucilene Silva informa que a homenagem terá a participação de Celson Mendes, Célia Maria, Léo Capiba, Claudio Pinheiro, César Peixinho, Airton Marinho, Binho Dushinka e do Professor de Artes da UFMA, Paulo César Carvalho, que coordenará a nova geração Haggi Wilklef, Silvio Renan, Thiago Máci, Edi Bruzaca e Bart Rodrigues. 
“A homenagem foi idealizada por amigos de ‘Seu’ Vieira que comungam da mesma percepção, que é contribuir com o caráter preservacionista de nossa memória cultural, perpetuar essa grande herança, esse legado histórico harmonizado em vários gêneros musicais e divulgar trabalhos de artistas através de sua obra”, disse Lucilene Silva. Ela complementa ainda que “o evento valorizará espaços artísticos, cenários dos nossos representantes culturais permitindo acessibilidade artística”, disse Silva.
A ideia existe desde 2009 e é realizada, produzida, executada e mantida por amigos pessoais, que se reuniam na Banca de Revista de Dácio Melo, na Praia Grande, e parceiros de trabalho do artista que o inclusive elaboraram o projeto que instituiu no ano de 2010 o dia de Tributo à vida e obra do Mestre Antônio Vieira sob a Lei Municipal de nº 5.328 O Sermão Antoniológico do Velho Moleque é uma celebração anual ao rico cancioneiro do eterno Mestre Antônio Vieira.


Fonte Musical - Durante várias décadas, Mestre Antonio Vieira transmitiu mensagens musicadas que re (constroem) fatos políticos, econômicos, sociais, culturais, religiosos... Leituras de vida do povo maranhense de uma forma suave, poética e ao mesmo tempo reflexiva. “A proposta é resultado de pesquisa acadêmica sobre sua musicografia, a abordagem o ratificou incontestavelmente, valiosíssima fonte histórica musical maranhense”, destaca a produtora cultural Nívia Saraiva.
O diretor do Departamento de Assuntos Culturais, Prof. Dr. Alberto Pedrosa Dantas Filho, destaca que “a proposta dessa grande comemoração também é impedir que grandes nomes de nossa cultura não tenham seus trabalhos esquecidos”. Ele completa que “a meta é invadir os palcos do Centro Histórico, fonte de inesgotável inspiração, fazendo ecoar o canto magistral do Mestre Antonio Vieira”, disse Dantas.

São Luís sediará a 2ª Feira do Artesanato Mundial (FAM)



A cidade de São Luís sediará a 2ª Feira do Artesanato Mundial (FAM) no período de 4 a 13 de maio, no Espaço Renascença. A Feira terá a participação de 35 países e mais de dez estados brasileiros, dentre eles Tocantins, Maranhão e Goiás. A FAM 2012 é uma promoção é da Charph Eventos, empresa de Brasília (DF), com apoio da Associação dos Artesãos do Maranhão, instituições públicas e empresariais. 


A 2ª edição da Feira do Artesanato Mundial valorizará a programação comemorativa dos 400 anos de Fundação da Cidade de São Luís, atual Capital Americana da Cultura, e terá atrações diárias, palestras, oficinas de capacitação e formação profissional e mostras da culinária internacional. A FAM 2012 terá novos países expositores e fortalecerá a cadeia produtiva do turismo e artesanato do Estado.

Exposição Coletiva “4cem traços e cores de São Luís”


Intervenções artísticas em graffiti no espaço expositivo da Galeria.
 
Abertura: 11 de maio/ 2012, das 18h30 às 21h
Local: Galeria de Arte do SESC
Período de Visitação: 14 a 30 de maio/2012
Horário: 8h30 às 17h30
Plano de Visitas Mediadas – Agendamento prévio e gratuito: (98) 3216 3830
 
 
4cem traços e cores de São Luís
 
 
“As histórias dos graffitis se entrelaçam, se recriam.
Numa paleta de cores, assumem novas formas e matizes.
Os muros são o suporte, a morada de todos esses grafismos, ícones, histórias e memórias de uma metrópole.
O graffiti é assim.
Nasce da necessidade de passar uma mensagem.
Caminha em cores por ruas cinzas.
Provoca o olhar para a cidade.
Em cada símbolo, torna os muros sociais visíveis.
É poético. É ácido. É metáfora. É antítese.
Arte democrática e humanizadora”.
 
(GUTIERREZ, Carolina. Graffiti: arte de rua, poesia e protesto. In: Outras palavras, 2012)
 
 
            Irrompendo em meio a diversidade de intervenções visuais presentes na paisagem urbana de São Luís, a grafitagem destaca-se por criar fissuras poéticas que abrem caminho para visualização de retratos marginais da cidade e interferem na relação que as pessoas mantém com diferentes espaços.
            O graffiti estabelece uma relação visceral com seu entorno, imprimindo sentido e beleza em estruturas dos muros, prédios e casas, além de espaços degradados e esquecidos.
            Nesse sentido, as propostas de alguns grafiteiros merecem atenção exatamente pela ressignificação de elementos da arquitetura e do meio ambiente, que transformam-se em componentes das obras.
            O graffiti está na cidade, assim como a cidade está nele. Como tema, inspiração poética, suporte e elementos expressivo, as estruturas do ambiente urbano brotam nos trabalhos em composições dotada de rara beleza.
            Sem perder de vista a dimensão política da realização do graffiti em seu espaço de origem, a mostra “4cem traços e cores de São Luís”, apresenta o trabalho de três grafiteiros que experimentam novas possibilidades de criação com um projeto voltado para a Galeria de Arte do SESC/MA.
            Lançando um olhar sobre o aniversário de Quatrocentos anos da Capital, Gil Peniel, Edi Bruzac e OVNI (cujas produções assinalam um interesse pela simbiose entre imagem e suporte), trazem a rua para o interior da Galeria, num retrato contemporâneo sobre nossa cidade.
            A iniciativa ambiciona estreitar as relações entre o SESC e os produtores locais, dando uma nova visibilidade ao graffiti e explorando o potencial pedagógico da exibição dessa forma de expressão como parte de um projeto consolidado de mediação. Assim, a experiência de fruição dos trabalhos visa contribuir para uma sensibilização do olhar, aproximando o público das formas de intervenção urbana que reelaboram, de um modo singular, a paisagem cotidiana.
 
José Raimundo Araújo Júnior
Arte educador, mestrando em Antropologia (UFPB)